Sete homicídios são registrados nas últimas 24 horas na Paraíba

Os corpos foram encaminhados à Gerência de Medicina e Odontologia Legal, localizada no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa

Polícia | Em 01/06/13 às 09h25, atualizado em 01/06/13 às 16h55 | Por Redação
Aguinaldo Mota
Crimes ocorreram em vários bairros da Capital, além de Alhandra e Sapé

Sete homicídios foram registrados entre a noite desta sexta-feira (31) e a tarde deste sábado (1) em João Pessoa, além dos municípios de Sapé e Alhandra. O crime mais recente ocorreu por volta das 14h no bairro do Padre Zé, na Capital.

De acordo com a polícia, um jovem de aproximadamente 18 anos foi assassinado em frente a praça da Conquista, na comunidade conhecida como 'Gadanhe'. A vítima - que não foi identificada - estava trajando uma camisa vermelha e uma calça jeans preta.

Segundo o sargento Henrique, da Força Tática, vários homens chegaram a pé no local do crime e dispararam cerca de dez tiros na vítima. A polícia acredita que os responsáveis pelo homicídio estejam escondidos no condomínio. O delegado Luiz Coutrim deu início às diligências em busca dos criminosos, mas até o momento ninguém foi preso.

Já na manhã deste sábado, um outro assassinato ocorreu na comunidade Torre de Babel, no bairro do Valentina de Figueiredo, em João Pessoa. De acordo com a polícia, Argisson Thiago da Silva Cunha, 23 anos, foi assassinado com cerca de oito disparos. O Serviço de Atendimeno Móvel de Urgência (Samu) ainda foi acionado, mas quando chegou ao local, constatou o óbito.

A Polícia Militar informou também que a vítima era acusada de praticar um homicídio na comunidade. Ainda não há informações sobre a autoria do crime.

Já na noite desta sexta-feira (31), outro assassinato ocorreu também na comunidade Torre de Babel, no bairro do Valentina de Figueiredo. De acordo com informações da Polícia Militar, o homossexual Diego Assis da Silva, 17 anos, foi morto com um tiro na cabeça. A vítima estava trajando uma blusa branca e um short. Moradores informaram que Diego era travesti e morava na mesma rua onde o crime ocorreu.

Já na comunidade do Timbó, nos Bancários, um homem - também não identificado - foi atingido com vários tiros e morreu na hora. O Serviço de Atendimento Móvel (Samu) ainda foi acionado, mas quando chegou ao local, a vítima já estava em óbito.

Na mão do jovem, a polícia algumas pedras de crack. Próximo do corpo, havia uma pedra com marcas de sangue e a polícia acredita que ela tenha sido usada para esmagar a cabeça da vítima. A PM não tem informações sobre a autoria do crime.

Também na Capital, outro homicídio foi registrado em menos de duas horas. Dessa vez, o assassinato ocorreu no bairro Padre Zé. A vítima não foi identificada e ainda chegou a ser socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.

Logo depois do crime, a moto usada pelos assassinos foi encontrada pela Polícia Militar, que não conseguiu pistas sobre o paradeiro dos acusados.

Em Alhandra, Litoral Sul da Paraíba, Ronaldo dos Santos Francisco, 18 anos, foi executado dentro de casa com vários tiros. De acordo com informações do tenente Bertuni Silva, da 1ª Companhia de Polícia Militar Independente, dois homens encapuzados invadiram a residência, no bairro Pituba, e efetuaram os disparos.

A vítima foi atingida com vários tiros e morreu na hora. Segundo testemunhas, o jovem possivelmente tinha envolvimento com o tráfico de drogas e em um homicídio, mas a polícia não informou os detalhes. A Polícia Militar realizou diligências, mas os dois acusados não foram encontrados.

Já em Sapé, na região da Mata paraibana, o mototaxista José Otávio da Silva, 44 anos, foi assassinado com vários tiros na zona rural. Segundo o delegado João Pereira de Melo Junior, a vítima havia ido a um sítio deixar uma passageira, quando na volta foi surpreendida pelos bandidos.

A família informou à polícia que José Otávio não tinha inimigos e era trabalhador. Como o crime ocorreu numa área de um matagal, não houve testemunhas e a polícia não soube informar a autoria do crime.

Os corpos foram encaminhados à Gerência de Medicina e Odontologia Legal, localizada no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa.

 

Atenção

Fechar