Processo judicial interfere nas eleições para a diretoria do Clube dos Oficiais da PM

O processo é movido pelo Tenente Coronel Costa que afirma existir irregularidades no processo de divulgação do novo pleito; ele pede que o atual presidente da entidade, o Coronel Francisco, "respeite a democracia"

Justiça | Em 16/11/12 às 17h02, atualizado em 16/11/12 às 17h15 | Por Redação
Internet
Coronel Francisco de Assis, presidente do Clube dos Oficiais da PM-PB

A eleição para a diretoria do Clube dos Oficiais da Polícia Militar da Paraíba terá desfecho solucionado pela Justiça. Segundo o Tenente Coronel Costa não há transparência na atual gestão da entidade, presidida pelo Coronel Francisco de Assis.

O Tenente Coronel afirma que a divulgação dos ritos necessários ao novo pleito não está sendo feita de maneira correta; segundo ele, a convocação da assembléia responsável pela votação teria de ser feita no Boletim da PM, enquanto foi publicada no caderno “Mundo” do Jornal da Paraíba.

Em entrevista a uma rádio da capital, o militar revelou que irá acionar a Justiça e abrir um processo pedindo a neutralização do pleito. “Vamos recorrer à Justiça contra a eleição e acredito que ela será anulada. Quero sensibilizar o Coronel Francisco para que respeite o processo democrático”, declarou o Tenente Coronel.

Costa comentou ainda que não tem como intenção questionar a forma como o Coronel Francisco trabalha, mas que apenas está cobrando uma postura democrática do atual presidente do Clube dos Oficiais da PM. O Tenente Coronel pretende concorrer ao cargo de presidente da entidade e revelou ter como uma das principais metas a revisão do estatuto do Clube dos Oficiais, que respalda a eleição por aclamação, responsável pela permanência do Coronel Francisco há seis anos na presidência do Clube.

 

Atenção

Fechar