Aesa prevê mais chuvas no estado nesta semana

Meteorologista lembra que período chuvoso no semiárido da PB começa agora e se estende até maio

Cidades | Em 18/02/13 às 08h15, atualizado em 18/02/13 às 08h17 | Por Correio da Paraíba
Padre Djacy Brasileiro
Chuvas no Sertão

Vai chover em todo o Estado nesta semana. A previsão tão esperada pelos paraibanos, principalmente pelos que convivem com a seca há quase um ano, é da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa). O meteorologista Alexandre Magno informou que poderão acontecer precipitações pontuais acima dos 100 milímetros, principalmente na região do semiárido (Sertão, Cariri e Curimataú). Na última sexta-feira, as chuvas no município de Emas registraram a marca de 101 milímetros e choveu em outras 60 estações do total de 269 monitoradas pela Aesa. 

Alexandre Magno explicou que a probabilidade de chuva existe em todo o Estado, especialmente no Sertão. “Estamos iniciando uma nova fase desde quarta-feira da semana passada, que é favorável às chuvas e tem continuidade no decorrer desta semana. Deveremos ter chuva em todo o Estado, não temos como prever com precisão em quais municípios. Teremos chuvas representativas, com acumulado acima de 50 milímetros em alguns pontos. A maior probabilidade é no Sertão”, enfatizou. 

O meteorologista também lembrou que o período chuvoso no semiárido do Estado se inicia em fevereiro e termina em maio.  

Em Patos

A gerente regional da Aesa em Patos, Fabiana Donato, está otimista com as previsões porque no município não são registradas chuvas representativas desde o início do ano passado. 

“A última chuva com acumulado superior a 50 milímetros em Patos aconteceu há aproximadamente um ano. Em 2012, só choveu até o final de fevereiro. A partir do dia 8 de março pararam e só voltaram em 28 de maio. Só que em maio e junho, as precipitações já são fracas e esparsas. Por isso não contribuíram para que houvesse recuperação”, relatou Alexandre Magno.

Sousa também sentiu o início do período chuvoso. Semana passada, as precipitações alagaram ruas.

Temperatura deve baixar

Com o início das precipitações, começa a diminuir gradativamente a temperatura dos municípios. Contudo, o meteorologista Alexandre Magno advertiu que ainda poderão ser registrados picos de temperatura. “Como está no início do período chuvoso, as precipitações ainda são irregulares. A tendência é que as temperaturas comecem a declinar, mas ainda poderemos registrar picos que poderão chegar aos 35 graus nas regiões do Agreste, Brejo e Litoral e aos 37 graus nas regiões do Sertão, Cariri e Curimataú”, explicou. 

Conforme os dados da Aesa, na última sexta-feira, três municípios registraram chuvas com acumulados entre 50m milímetros e 100 milímetros. Foram as cidades de Catingueira, com 93,5 milímetros, Catolé do Rocha com 70 milímetros e Riacho dos Cavalos, com 64 milímetros. Além deles, outros 28 tiveram chuvas que acumularam entre 10 milímetros e 50 milímetros. 

Clima é tema de reunião em Brasília

O engenheiro agrônomo, Beranger Arnaldo de Araújo, vai representar a Paraíba na primeira reunião do Núcleo de Articulação Federativa para o Clima, organizada pela Casa Civil da Presidência da República, amanhã, em Brasília (DF). O evento faz parte do Comitê Interministerial sobre Mudança do Clima. O nome de Beranger Araújo foi indicado pelo secretário de Estado de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, João Azevedo, para participar do evento. O engenheiro agrônomo trabalha atualmente como assessor de gabinete do Secretário, e no mês de dezembro do ano passado, defendeu uma tese de doutorado em meio ambiente. Ele também representa o Estado da Paraíba como membro efetivo da Comissão Nacional de Combate à Desertificação.

A Presidência da República sancionou em 2009, a Lei nº 12.187, que instituiu a Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC) e, nesta primeira reunião, estará fazendo a instalação do Núcleo de Articulação Federativa sobre o Clima. Quatro temas serão discutidos e aprofundados nesta reunião de trabalho: a política nacional sobre mudança do clima e o papel do Núcleo de Articulação; o desafio da harmonização das políticas de clima; demandas e escalas para a contabilidade de emissões de gases de efeito estufa; e, registro de emissões: importância, conceitos e necessidade de harmonização.

Na Paraíba, Beranger Araújo coordenou a elaboração do Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV) e consolidou e concluiu o Programa Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Estiagem (PAE). Os projetos foram executados em um ano e meio, enquanto assessor de gabinete de João Azevedo.

 

Atenção

Fechar